Blog

A Respeito da Cirurgia Plástica

Longe de afastar o homem de seu espiritual, a cirurgia plástica tenta auxilia-lo na sua trajetória física, seja reconstruindo partes, restabelecendo formas frustas ou readequando a idade físico-cronológica.

Desta forma, a especialidade apresenta sua parte reconstrutiva, reparando deformidades congênitas e traumáticas através de transplantes de tecidos livres(enxertos e retalhos microcirúrgicos) ou não (retalhos convencionais onde o tecido mantém um vínculo com a área doadora). Assim, lábio leporino (rachadura), fenda palatina (céu da boca aberta), dedos extranumerários (a mais) ou unidos, nevus congênitos (pintas na pele), seqüelas de queimaduras e traumas em geral são abordados com a intenção prímaria de restabelecer o indivíduo a sua condição de trabalho e relacionamento social.

Por outro lado, a parte estética procura minimizar os efeitos da idade, sem contudo, atender contra a naturalidade do processo de envelhecimento a que todos estamos sujeitos. Sendo assim tenta-se eliminar desconfortos provocados por lipodistropias ( gordura mal localizadas), rinomegalia (nariz grande), rítides (rugas), hipertrofia mamária (mama grande e ou caídas), orelha de abano(salientes) e outros.

Como em todos os setores da existência, o binômio falar e ouvir necessita estar em conjunção, dando, quem sabe, um ar de sacerdócio à consulta médica, onde o desejável e o possível tem que se encontrar.

Artigo redigido pela equipe do Grupo de Saúde Lapecco.

Você também pode se interessar por...

Topo